Um médico também adoece

Se refere a nós padres…

“Nesse quesito, Padre Fábio de Melo está sendo porta-voz de inúmeros sacerdotes que enfrentam a depressão. Ter depressão não significa que se deixou de rezar, mas sim, que não conseguiu aliviar o peso que se carrega e se cansou. Temos medo de dizer o que sentimos e o que passamos, pois somos vistos como máquinas de solução de problemas. Tantas noites choramos escondidos porque não nos podem ver chorar, tantos dias que a cama nos quer o dia todo, mas nos levantamos pois temos muitos a cuidar. O “sistema” nos tirou o direito de sermos frágeis, somos obrigados a sorrir sempre, pois um rosto triste frusta aqueles que nos vê como esponjas de tirar sofrimento, como médico que nunca pode adoecer. Desafio é caminhar rumo á perfeição, educar a humanidade, mas poderia ser mais fácil estivéssemos o direito de assumir nossa dor, nossa tristeza, nossas angústias… Quando muitos descansam, passamos noites em claro pesando nas soluções, nos remédios que temos a oferecer. Por fim, também sofremos, também nos decepcionamos, também nos sentimos abandonados. Exigem que sejamos bons administradores, oradores eloquentes, construtores de catedrais, mas na verdade só queremos ser servos de Deus com os pequenos dons que ele nos deu. Não queremos ser locutores de espetáculos para alegrar o público dominical, não queremos ser animadores de terapia de autoajuda, queremos só partilhar a simples, ricas e belas palavras do evangelho. Um médico também adoece”.

 

Retirado de: http://deskgram.org/pefabiodemelo/taggedin?next_id=1586790350742256989

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *